Campo Grande conquista R$ 13,6 milhões para compra de equipamentos e reestruturação da rede tecnológica da Saúde

Campo Grande recebeu aproximadamente R$ 13,6 milhões em recursos provenientes do Ministério da Saúde para investimento na compra de equipamentos e reestruturação de toda a rede de informatica da Saúde do Município.

O secretário municipal de Saúde,  José Mauro Filho, destaca que a liberação do recurso, que vinha sendo pleiteado desde 2019, representa um marco na saúde pública do Município, pois deve impactar diretamente na qualidade do serviço prestado à população.

“Estamos trabalhando com o objetivo de melhorar a saúde da população e o investimento em equipamentos e na rede tecnológica é muito importante, pois contribui na melhoria dos fluxos de trabalho e processo internos .  É um grande avanço que trará muitos benefícios, sobretudo no trabalho da Atenção Primária”, comentou.

Os recursos devem ser empregados na renovação e aquisição de novos equipamentos de utilização direta dos servidores, como computadores e tabletes a serem destinados aos agentes de saúde, assim como na reestruturação da rede tecnológica das unidades de saúde.
Avanços

Tal investimento vai contribuir para melhorar ainda mais a saúde pública do Município. Nos últimos cinco anos, nove novas unidades de saúde foram inauguradas em Campo Grande nos bairros: Sírio Libanês, Vila Cox, Oliveira, Azaléia, Dom Antônio Barbosa, Zé Pereira, Cristo Redentor, Arnaldo Estevão Figueiredo e Aero Rancho, além de três Clínicas da Família nos bairros Nova Lima, Portal Caiobá e Iracy Coelho. Outras 30 unidades foram ampliadas e reformadas.

Atualmente, o Município conta com 72 unidades básicas e de saúde da família e a oitava maior cobertura de saúde da família entre as capitais.

Campo Grande saltou de 33% (27ª capital) para 75% (8ª capital) em Atenção Primaria, graças aos investimentos e implementação de ações estratégicas, como as maiores residências médica e multiprofissional de saúde de família do País.

São, ao todo, 70 profissionais médicos atuando no projeto como residentes em medicina da família e comunidade e outros 121 de diversas áreas que trabalham em saúde da família.

Além disso, a capital Sul-mato-grossense é referência no enfrentamento  da Covid-19 e na vacinação contra a doença, tendo uma das maiores coberturas vacinais.

*PMCG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *