Vendedora morre baleada em carro ao lado do namorado

A vendedora Bruna Moraes Aquino, de 22 anos, foi morta a tiros na noite dessa quarta-feira (1º), no carro em que estava com o namorado, no Jardim Itamaracá, em Campo Grande. “A família está sem chão”, resumiu Diego Oliveira Vollkolf, tio da jovem.

“Era uma menina alegre, que vivia a vida, se divertia, dançava e ria. Tinha muitos amigos”, fala Bruna Moraes de Souza, tia da vendedora e quem, junto com a avó materna a criou. “A mãe dela deu o mesmo nome que o meu como homenagem”.

Crime

À polícia, o frentista Ewerton Fernandes da Silva, de 34 anos, namorado de Bruna, disse que eles estavam dentro do carro, com o veículo parado, cada um mexendo no seu celular, quando um homem se aproximou da porta do passageiro e atirou.

Ainda segundo a versão de Ewerton, Bruna tinha acabado de receber uma mensagem de um rapaz no celular quando foi baleada. Os tiros também atingiram o frentista, que ao ver a namorada sangrando e inconsciente, seguiu com o carro para a UPA Universitária.

De acordo com o boletim de ocorrência, o frentista parou o veículo na entrada de ambulâncias e pediu socorro. Bruna chegou em parada cardiorrespiratória, foi tentada reanimação, mas ela não resistiu aos dois tiros no pescoço. Ewerton teve lesão leve.

Tudo aconteceu em um local com pouca iluminação público e pouco movimento de pessoas. Policiais estiveram na região, apontada em mapa virtual pelo frentista, mas não localizaram vestígios do crime e nem testemunhas.

Bruna não portava documentos pessoais e foi reconhecida através da foto do rosto e da tatuagem, pelo tio, Diego. O celular dela foi apreendido para perícia, assim como o carro de Ewerton, que está com manchas de sangue e danificado.

Suspeitas

À polícia, Ewerton disse não saber quem pode ter atirado nele e na namorada, mas contou que Bruna havia sido baleada após terem saído de uma casa noturna, na madrugada de domingo (29) para segunda-feira (30).

Momentos antes, ainda dentro da casa noturna, um rapaz ‘mexeu’ com Bruna, sendo advertido por Ewerton que ele estava sendo ‘inconveniente’. Depois disso, o casal foi embora.

No caminho, foram seguidos e os suspeitos atiraram. Um dos tiros acertou Bruna na nuca, que, de acordo com Ewerton, recebeu atendimento médico em uma unidade de saúde, mas não quis procurar a polícia.

O caso foi registrado como homicídio simples e tentativa de homicídio. Até a publicação desta reportagem ninguém havia sido preso.

*G1 MS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram
WhatsApp